terça-feira, 11 de março de 2014

Backer Rod Cicada

Normalmente as notamos mais durante o verão, mas elas estão sempre presentes em matas e regiões cultivadas, muitas vezes causando grandes prejuízos aos agricultores, sendo consideradas verdadeiras pragas para culturas como cana-de-açúcar, milho, sorgo, arroz e demais gramíneas. E naturalmente, pela proximidade dessas áreas a cursos e fontes d'água, servem de alimento para muitas espécies de peixes que incluem insetos em sua dieta.

Exemplar de Carineta fasciculata, a espécie mais comum no Brasil

As barulhentas cigarras (cujo "canto" pode atingir 120 decibéis) são insetos sugadores da família dos cicacídeos, durante a fase de ninfa vivem sob a terra entre 30 cm e mais de 2 metros de profundidade, se alimentam sorvendo a seiva das plantas pelas raízes. Existem cerca de 1.500 espécies que passam por períodos diferentes de amadurecimento (variando de 1 a 17 anos) até que ao final dessa fase, cavam túneis até a superfície e emergem da terra. Depois que saem da terra, mudam de "pele" (ecdise) e procuram um lugar alto em uma planta para se fixarem enquanto se preparam para a muda final (troca do exoesqueleto) e então finalmente emergem como adultos, fase na qual continuarão a se alimentar da seiva das plantas retiradas agora por seus caules e folhas. As diversas espécies apresentam características distintas, como tamanho variando de 15 milímetros a mais de 13 centímetros, várias combinações de cores (preto, verde, marrom, amarelo, vermelho, azul, etc), além de diferentes disposições e formatos das asas e do corpo, sem que percam seu aspecto geral.

Exoesqueleto descartado após a ecdise final



Porém, diferentemente da famosa fábula de Esopo, na qual ela vive cantando enquanto a formiga dá um duro danado, quando utilizada como "bass bug" para atrair e fisgar diversas espécies de peixes, a cigarra trabalha bastante e é uma excelente opção para incitar o apetite de peixes predadores de insetos. Bom, mas então chega de papo e vamos ao atado!

O Backer Rod é perfeito para a confecção do corpo da cigarra

A grande sacada para a montagem dessa mosca é a utilização de um material conhecido como Backer Rod, Caulk Saver ou Tarugo Flexível de Polietileno. É um cilindro flexível de polietileno expandido, vendido em diversas cores, densidades e bitolas, normalmente usado em vedações e em substituição a antiga massa de vidraceiro para manter os vidros fixados às janelas. Esse excelente material é perfeito para a manufatura de corpos de insetos, como a cigarra, e a partir da sua utilização para esse fim, a montagem dessa mosca se torna bastante simples. Outra ótima ideia de aplicação de material alternativo é o emprego de alfinetes de mapa (pin map) como olhos de insetos. Essas fantásticas adaptações são fruto da imensa criatividade e do incrível senso de oportunidade do mestre Jay "Fishy" Fullum presentes em seu livro Fly Tying with Common Household MaterialsNeste passo a passo utilizarei esses materiais e mais alguns ditos próprios para o atado.

Material Básico:
  • Anzol com grande abertura (Wide Gap), usei um Daiichi Stinger #2
  • Backer Rod 3/8" (aproximadamente 1 cm de diâmetro)
  • Alfinetes de Mapa (Pin Map)
  • Fio de Nylon 0,25 mm
  • Sili Legs (perninhas de borracha)
  • Organza (Tecido para as asas)
  • Marcador Permanente Preto
  • Cola de Cianoacrilato
  • Fio de Atado 140 Denier Preto


Material Opcional:
  • Marcador permanente (outras cores)
  • Elk Hair ou Deer Hair (para as asas)
  • Alfinete de Costura (cabeça de plástico)
  • Tiras de EVA

Passo a Passo:

1º Corte um pedaço do Backer Rod cujo comprimento deverá ser 2x o tamanho da parte reta da haste do anzol. Corte o pedaço do cilindro ao meio, no sentido longitudinal, de forma a ficar com 2 meias canas (cada uma servirá para montar uma cigarra).


2º Com o bodkin, a ponta da tesoura ou um outro furador qualquer, faça um furo exatamente na metade do comprimento do Backer Rod, largo o suficiente para passar o olho do anzol.


3º Coloque um anzol com a farpa amassada na morsa, faça uma cama de linha por toda a haste do anzol iniciando bem próximo ao olho e terminando onde se inicia a curva da haste, cobrindo toda a parte reta. Aplique uma fina camada de cola pra fixar bem essa base de thread.


4º Corte a haste do alfinete de mapa para que tenha exatamente a medida da largura do Backer Rod, eliminando a parte aguçada.


5º Prenda os dois pin maps na haste do anzol, um de frente pro outro, com as cabeças viradas pra fora, de forma perpendicular, a uma distância do olho do anzol equivalente à espessura do segmento do meio cilindro de polietileno. Fixe com algumas voltas em X e reforce amarrando os dois alfinetes, um no outro, por todo seu comprimento. Aplique uma gota de cola para deixar a amarração firme.


6º Leve o thread para trás dos olhos, e pare aproximadamente na metade da haste do anzol. Fixe 3 sili legs prendendo-as pela metade, utilizando a mesma amarração em X.


7º Use um pequeno pedaço de papel com um corte para ajudar a manter as perninhas de borracha em uma posição que não atrapalhe o resto da montagem. Para manter as perninhas longe da área de trabalho, pode também ser usado um pedaço de canudo de bebida ou uma pinça.


8º Leve o fio de atado pro final da haste do anzol e fixe um pedaço de nylon, que servirá para fazer a segmentação do corpo da cigarra.


9º Volte com o fio de atado pra frente e finalize a amarração com um nó de acabamento próximo ao olho do anzol.


10º Prenda o Backer Rod no anzol, passando o olho pelo furo feito anteriormente, tomando o cuidado para que a parte reta do meio cilindro fique faceada com o eixo dos olhos.


11º Vire a isca de cabeça para baixo, aplique cola na haste e prenda a parte de baixo do corpo da cigarra.


12º Vire a mosca de cabeça para cima novamente e separe as pernas da cigarra, prendendo-as com pequenas gotas de cola. O primeiro par de pernas deve ficar ligeiramente posicionado pra frente, o segundo par deve ficar perpendicular à haste do anzol e o terceiro par ligeiramente voltado para trás. O resultado final deverá ser uma disposição em forma de leque (para cada um dos lados).


13º Aplique uma generosa quantidade de cola na haste do anzol e fixe a parte de cima do corpo da cigarra. Um pregador de roupas ajuda a manter tudo no lugar enquanto a cola seca.


14º Retire o pregador, puxe as pernas de borracha pra trás e faça uma nova amarração com o fio de atado logo atrás dos olhos pra formar a cabeça da cigarra.


15º Com o fio de nylon faça a segmentação do corpo da cigarra. Como o Backer Rod é ligeiramente escorregadio, ao iniciar a amarração do fio de nylon pressione a ponta do cilindro com os dedos, isso facilitará a fixação da primeira volta. Continue as próximas voltas de forma espaçada e espiralada, tomando o cuidado para não prender as pernas de borracha. Fixe o fio de nylon com o thread atrás da cabeça.


16º As asas pode sem confeccionadas de diversos materiais, estas foram cortadas em organza (recido) e moldadas com um wing burner (a confecção de asas com wing burners será fruto da próxima postagem). Com um marcador faça alguns riscos para adicionar ainda mais detalhes.


17º Fixe as asas logo atrás da cabeça da cigarra prendendo com duas ou três voltas do fio de atado. Finalize com um nó de acabamento e aplique uma gota de cola pra fixar a amarração.


18º Faça o ajuste do comprimento das pernas, cortando o excedente.


Está terminado, a cigarra já está pronta para ir pra água.



Variações:

Alternativamente ao Backer Rod, poderão ser utilizados cilindros de EVA para a montagem do corpo da cigarra. Em substituição aos pin maps, poderão ser usados alfinetes de costura ou olhos de caranguejo/camarão. O uso de marcadores permanentes para pintar o corpo pode produzir combinações que despertem ainda mais o interesse dos peixes, bem como a utilização de sili legs de cores berrantes. As asas podem ser confeccionadas com pelos (Elk ou Deer Hair) e fixadas em posições que simulem outras situações que não o inseto pousado, como no exemplo abaixo com as asas abertas, dispostas em V voltadas para trás. Uma tira de EVA aplicada no meio do tufo de pelos, ajudará a mantê-los na posição.


Variante atada com Elk Hair aplicado para a confecção das asas


Como trabalhar a isca:

Esta mosca é trabalhada basicamente com pequenos recolhimentos, alternando sua freqüência e intensidade. As paradas, entre os recolhimentos, poderão variar em função da atividade dos peixes.

Lembre de Não Esquecer:
  • As asas de uma cigarra real, via de regra possuem o dobro do comprimento do corpo, essa montagem utilizou um comprimento menor para que a mosca fique mais equilibrada.
  • Esta é uma isca de superfície, caso queira substituir algum material, procure fazê-lo usando um substituto que ajude a mosca a flutuar.
  • Essa montagem produz uma mosca com corpo volumoso tornando praticamente obrigatório o uso de um anzol wide gap (podem ser utilizados anzóis com outros formatos de abertura, desde que estas sejam grandes).

Grande Abraço

4 comentários:

  1. Ficou bme legal André.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Diego!

      É uma mosca fácil de atar e bem acessível por usar material alternativo.

      Grande Abraço

      Excluir
  2. Estou iniciando nessa tal da pesca com mosca e seu blog foi muito enriquecedor para meus conhecimentos. Cheguei aqui através de uma procura pelo "woolly bugger" e confesso que não consegui parar de ler, desde o início até a última postagem. Parabéns pela didática que consegue passar para pessoas como eu, que não tem ainda conhecimento dos termos mais "técnicos" dessa arte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Edgar,

      Muito obrigado pelo comentário, o objetivo do blog é realmente esse, passar o pouco que aprendi (e o muito que ainda aprenderei) pros iniciantes (como eu). Se eu puder ajudar em mais alguma coisa é só perguntar.

      Grande Abraço

      Excluir